folder Categoria(s) Cinema, Destaque, Orgulho Nerd
Destaques de Cannes 2009
Tita Mirra comment Comentários access_time 3 minutos

O Festival de Cannes, que já foi sinônimo de filmes-cabeça, chega a sua 62ª edição mais democrático.

Para a abertura oficial do evento, nessa quarta-feira 13/05, foi selecionada a animação em 3D “Up”, dos estúdios Pixar. Dirigida por Pete Docter (de “Monstros S/A”), a história do viúvo de 78 anos que decide realizar o sonho de viajar para a América do Sul levando sua casa inteira amarrada a milhares de balões de gás.

Outro destaque da programação é o terror asiático “Bak-jwi” (“Thirst”, em inglês), que será apresentado nessa quinta-feira 14/05. Do diretor sul-coreano Chan-wook Park (de “Oldboy” e “Lady Vingança”), narra a saga de um padre que se transforma em vampiro após se submeter a um experimento malsucedido.

Aliás, o gênero terror está muito bem representado no festival, com “Anticristo” (“Antichrist”) do diretor dinamarquês Lars Von Trier (de “Dogville), que traz Willem Dafoe e Charlotte Gainsbourg como o casal que, após a morte de seu filho, se muda para uma cabana isolada habitada por forças sinistras. E “Drag me to hell”, filme de Sam Raimi que foi exibido fora da competição, e marca a volta do diretor ao terror cult de “Madrugada dos mortos”.

Outros dois grandes nomes da seleção oficial desse ano é Quentin Tarantino, único representante do cinema americano na disputa com “Bastardos Inglórios” (“Inglourious Basterds”), filme que tem Brad Pitt, Diane Kruger e Eli Roth como protagonistas, e o espanhol Pedro Almodóvar com o longa-metragem “Los Abrazos Rotos”, que traz mais uma vez sua musa Penélope Cruz no papel principal.

Também representando a Espanha na disputa pela Palma de Ouro temos Isabel Coixet com o filme “Mapa de Los Sonidos de Tokio”. A França concorre com “Les Herbes Folles” do diretor Alain Resnais, um veterano na premiação, além de mais 3 filmes: “Un Prophete”, de Jacques Audiard, “A L’Origine”, de Xavier Giannoli e “Soudain Le Vide”, de Gaspar Noe. Já a Inglaterra está representada por Ken Loach com o filme “Looking For Eric” e por Andrea Arnold e o longa “Fish Tank”.

Os demais concorrentes aos prêmios são “Taking Woodstock”(Taiwan), do diretor Ang Lee, “Visages” (Malásia), de Tsai Ming-Liang, “Kinatay” (Filipinas), de Brillante Mendoza, “Das Weisse Band” (Alemanha), de Michael Haneke, “Bright Star” (Nova Zelândia) de Jane Campion , “Vincere” (Itália) de Marco Bellocchio, “Spring Fever” (China), de Lou Ye, “The Time That Remains” (Palestina), de Elia Suleiman, e “Vengeance” (Hong Kong), de Johnnie To.

O Brasil concorre nas mostras paralelas com os longa-metragens “À deriva”, de Heitor Dhalia, com Debora Bloch no elenco, e “No meu lugar”, de Eduardo Valente.

Outras participações importantes na programação são dos veteranos Francis Ford Coppola, com o filme “Tetro”, Terry Gilliam – com “The Imaginarium of Doctor Parnassus” – último trabalho do ator Heath Ledger em vida – e Martin Scorsese, como anfitrião da mostra de filmes clássicos do cinema.

O festival se encerra no dia 24/05 com o filme “Coco Chanel & Igor Stravinsky” e a cerimônia de premiação. No júri principal desse ano estão a francesa Isabelle Huppert, presidente do grupo, os cineastas turco Nuri Bilge Ceylan e o americano James Gray, além das atrizes Asia Argento e Robin Wright Penn, que também presidiu o corpo de jurados do evento em 2008.

Cannes Cinema