folder Categoria(s) Destaque, Teatro
"Rock 'n Roll"
Rangel Andrade comment Comentários access_time 3 minutos

Até onde vale a pena lutar por um sonho ou idealizar uma nação politicamente democrática?

O instigante texto de Tom Stoppard, nos conduz pela história do jovem idealizador Jan e seu mentor Max (interpretado com visceridade, um leve toque de humor e uma emoção contida pelo sedutor Otávio Augusto). Max sonha com uma sociedade igualitária, mas acaba depositando suas utopias no jovem Jan, este parte para Praga e dá início a sua resistência ao comunismo repressor que se instalara na República Tcheca.

Paralelamente temos a história de Eleanor (interpretada com certo exagero de humor por Gizele Fróes, mas nada que atrapalhe seu desempenho como Esme), uma velha professora que luta contra o câncer. Em uma das cenas mais poéticas da peça ela discursa belamente sobre a vida e a morte: “Cortaram, cauterizaram e jogaram fora meus seios, meus ovários, meu útero, metade do meu intestino e um pedaço do meu cérebro, e eu continuo aqui. Eu sou exatamente quem eu sempre fui. Eu não sou meu corpo. Sem mim, meu corpo não é nada.”
Os atores estão leves em cena, em interpretações simples e limpas, muito perto do coração da platéia, não se valem de gritos ou gestos desnecessários. O texto flui naturalmente, e em alguns momentos temos a impressão que eles vivem em Cambrige ou Praga, tão convincente é o modo como defendem seus personagens e os interesses de cada um.
“Rock´n roll” é a primeira peça dessa safra de 2009 que consegue uma perfeita sintonia entre figurinos e cenário, elaborados respectivamente, por Nello Marrese e Sergio Marimba . Um passa a ser a base e complemento do outro, não há uma supervalorização de certa roupa ou parte cenográfica, o que importa é o conjunto que canta em uníssono.
Bem Brantley diz que “as pessoas não choram nas peças de Tom Stoppord”, mas é um texto que merece uma certa disposição por parte do público; podemos compará-la ao nosso passado recente na Ditadura Militar e luta de nossos artistas por um país melhor ou simplesmente aceitá-lo como é. O fabuloso dessa montagem é justamente a reação que passa pelo espectador: as vezes nos incomodamos, emocionamos, esquecemos de nós e refletimos.
Mas a maior lição de “Rock ‘n roll” é que não podemos mais permanecer na inércia que somos submetidos por nossos governantes e nossos próprios ideais.

Ficha Técnica
Texto: Tom Stoppard
Tradução: Felipe Vidal
Direção: Felipe Vidal e Tato Consorti
Elenco: Otávio Augusto, Thiago Fragoso, Gisele Fróes, Bianca Comparato, Adriano Saboya, Carol Conde, Christian Landi, Mariana Vaz, Lucas Gouvêa e Luciana Borghi
LOCAL: Teatro Villa Lobos – Av. Princesa Isabel, 440 Copacabana, RJ – tel: 21 2334 7153
Horários: de 5ª a sábado às 20h; domingo às 19h
Duração: 180 min (com intervalo de 10 min)
Ingressos: 5ª, 6ª, e domingo, R$40,00; sábado, R$50,00
Capacidade: 463 lugares
Classificação etária: 14 anos
Temporada: até 26 de julho

Rock 'n Roll Teatro Tom Stoppard