folder Categoria(s) Cinema, SteamPunk
Les Aventures Extraordinaires d´Adèlec Blanc-Sec
Rober Pinheiro comment Comentários access_time 2 minutos

Depois de se aventurar pela ficção científica com “O Quinto Elemento” [The Fifth Element, EUA/França, 1997], de passear pela história francesa com “Joana D’Arc” [The Story of Joan of Arc, EUA, 1999], e de tentar [sem muito sucesso] conquistar os pequenos com a animação “Artur e os Minimoys” [Arthur et les Minimoys, França 2006], filme adaptado a partir do livro homônimo de sua autoria, o diretor francês Luc Besson resolveu investir na mais nova — e lucrativa — onda do momento: as adaptações de HQs para as telonas.

Seguindo os passos de sucessos recentes deste nicho, como “Homem de Ferro” e “Batman”, seu mais recente lançamento, “Les Aventures Extraordinaires d´Adèlec Blanc-Sec” [As Aventuras Extraordinárias de Adèle Blanc-Sec, em tradução livre] alcançou o primeiro lugar nas bilheterias da França em sua primeira semana de exibição, com um público de mais de 650.000 espectadores e arrecadação em torno dos 4 milhões de euros. Sem dúvida, um belo começo para uma prata da casa!

Baseado numa série de histórias em quadrinhos do cartunista francês Jacques Tardi, o filme retrata a aventuras de uma jornalista freelancer que vive em Paris no início do século XX. No longa, em meio a magias, perseguições e personagens bizarros, ela terá de enfrentar, entre outras coisas, múmias e pterodátilos.

As histórias de Adèle Blanc-Sec apareceram pela primeira vez como uma tira no jornal Sud-Ouest, em 1976, antes de sua publicação em álbuns pela editora Casterman. Situadas em Paris nos anos que antecederam e sucederam a 1ª Guerra Mundial, as histórias giram em torno da protagonista Adèle. Heroína cínica, ela era inicialmente uma escritora de ficção popular que se voltou para o jornalismo investigativo. Temas como o ocultismo, a corrupção, a incompetência oficial e os perigos do patriotismo exacerbado são abordados na série pelo olhar crítico de Tardi. Ao todo, foram lançados cerca de nove álbuns com as aventuras da heroína, começando com “Adèle et la bête” [Adèle e a besta], de 1976 até o mais recente, “Le Labyrinthe Infernal” [O labirinto infernal] de 2007.

Além de dirigir o longa, Luc Besson também é responsável pelo roteiro e produção.

“Les Aventures Extraordinaires d´Adèlec Blanc-Sec” será distribuído no Brasil pela Imagem Filmes e ainda não tem data prevista de estreia por aqui.

1 guerra mundial Adèle os passos story of joan of arc uma