folder Categoria(s) Cultura Nerd, Teatro
Eu e os Meninos - crítica
Rangel Andrade comment Comentários access_time 3 minutos

O grande mérito da peça “Eu e os Meninos”, que está em cartaz no Teatro dos 4, na Gávea, é o de fazer a releitura de um tema religioso de forma leve e divertida, criando situações que nos remetem ao passado dos personagens bíblicos, ora satirizando-os, ora dando um porquê de suas atitudes no momento da traição e crucificação de Cristo.

A melhor sátira é a de Lázaro, que passa a peça toda morrendo e sendo ressuscitado por Jesus, mas deve-se destaque ao Judas “terrorista” e ao Tomé, que só passa a enxergar quando tira a venda que cobre seus olhos.

Talvez seu maior demérito, contudo, tenha sido o excesso de “cacos” – como chamam-se os improvisos em teatro – onde nota-se que a preocupação é tentar, a todo custo, tirar um riso da platéia, não necessariamente mantendo comprometimento com o personagem. É o caso da brincadeira no Morto-Vivo que, da mesma forma que se iniciou, terminou, sem dizer a que veio! É o caso, também, do Anjo Gabriel que foi tão pouco convincente nas piadas e no desejo de fazer rir que chegou a ser estafante.

A peça tem algumas soluções inteligentes, como é o caso do figurino dos centuriões, que é feito de gravatas e bordados com botões. O mesmo pode se dizer do trono de Pilatos, que é ornamentado com vassouras, porém esta mesma inteligência não é vista no restante dos figurinos que são um tanto óbvios e prosaicos.

Talvez fazer comédia seja mais difícil do que fazer drama; e o fazer rir, hoje, no Rio de Janeiro, parou no lugar comum, no fácil, nas mesmas caras e bocas, na velha mania de fazer uma piada e explicá-la ao público. Não culpo os atores. O teatro precisa, hoje, da coragem de um diretor que desafie o óbvio e renove. Fazer caretas ou repeti-las é fácil, o difícil é ir contra a correnteza dos Surtos, das Terapias do Riso e desafiar a platéia pelas entrelinhas.

Serviço

“Eu e os Meninos”. Texto: João Sant’Anna, André Pellegrino e Daniel Zubrinsky. Direção: Bernardo Jablonski e Cico Caseira. Com André Dale, George Sauma, Luana Manuel, João Sant’Anna, Daniel Belmonte, André Pellegrino e outros. Teatro dos 4: Shopping da Gávea, 2º andar. Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel.: (21) 2274-9895. Terças, às 21h. R$50. 75 min. Em cartaz até 31 de julho. Não recomendado para menores de 14 anos. Lista amiga: R$ 20,00 (enviar e-mail para queroseramigodejesus@gmail.com)

Ficha Técnica
Direção: Bernardo Jablonski e Cico Caseira
Texto: André Pellegrino, João Sant’Anna e Daniel Zubrinsky
Supervisão do texto: João Brandão
Iluminação: Felipe Lourenço
Operador de som: Julia Marina
Operador de luz: Juninho
Cenografia: Teka Fichinski
Figurino: Julia Marina
Supervisão de figurino: Sônia Tomé
Coreógrafa: Carol Miranda
Auxílio luxuoso: Joaquim Tomé
Programação visual: Victoria Scholte
Produção: Arpa Produção
Supervisão de Produção: Cris Lara Produções
Elenco: Adriano Martins, Alexandre Duvivier, André Dale, André Pellegrino, Anita Chaves, Daniel Belmonte, Daniel Gawas, Daniel Zubrinsky, Eduardo Vianna,George Soume, Hugo Maia, João Sant’Anna, João Gabriel Moraes, Ricardo Monteiro, Luana Manuel, Rodrigo Belay e Rodrigo Miranda.

Bernardo Jablonski Cico Caseira